sábado, 1 de maio de 2010

Sentimentos possíveis

Na vida estamos disponíveis a tudo, desde ir a um jantar formal, até a levar um tapa na cara...
Ficamos expostos e vulneráveis, somos seres vulneráveis, e com certeza esperamos sempre o melhor, mas como não poderia deixar de ser, não vivemos só de coisas boas, não somente de um jantar romântico e buquê de flores no dia seguinte, por vezes a gente apanha, e isso nos serve como lição, muito mais do que só coisas boas, as ruins são as que ensinam mais... E fazem a gente aprender, por medo a gente aprende, criamos auto-defesa e nos afastamos de tudo o que não julgamos ser dignos de nós.
E eu hoje arrumei meu armário, juntei tudo e fiz um bolo só, LIXO... foi pra lá que foram todos os sentimentos que não prestavam pra nada, joguei tudo fora... Frases bonitas na teoria, pessoas de mentira, gente que não merece se quer uma palavra minha, mesmo que essa seja cheia de farpas!
E eu sinto... sinto muito por você, por mim, por nós 2, porque nessa faxina eu descobri que o que eu sinto por você não serve pra nada, que você não me serve pra nada... Então te joguei fora, com suas verdades inventadas, com a sua cara de bom moço, com as suas lágrimas que escorrem somente pela sua face.
Me dei conta que sempre fomos muito frágeis, mas eu por teimosia te coloquei numa caixa e escrevi cuidado, mas não houve jeito, ainda assim quebrou, não sei se sozinho, ou se eu que te deixei quebrar..
Mas o fato é que você não faz mais parte do meu armário de coisas possíveis, e talvez você nunca tivesse feito parte, eu que te inventei pra me distrair.

Um comentário:

Carol Maia disse...

Reciclando o q pode ser reciclado...
Agora, o q não puder, é isso aí, jogue tdo no lixo mesmo!