sábado, 12 de setembro de 2009

Entrei na bolha

Hoje o meu mundo acordou sem cor, o arco-íris não faz mais tanto sentindo pra mim agora... Entrei na bolha!
Não é depressão, eu to indignada mesmo, com tanta gente tentando ser tanta coisa, e ao mesmo tempo não conseguindo ser nada, máscaras caem, e personagens só funcionam em ficções, e mesmo assim tem uma hora que ele acaba, que ele morre, e devolve a vida a pessoa de verdade.
Agora, com essa onda de Internet e de orkut, é tão engraçado que as pessoas tiram fotos já pensando em colocar na Internet, e mostrar que vai nas melhores festas, e tem um milhão de amigos, é uma alegria que não existe, existe durante 10 segundos que tem que sorrir para sair bem na foto.
Não, eu não quero sair bem na foto, sou contra tudo isso, gosto de pessoas simples, de verdade com alma de verdade e sentimentos de verdade.
Não faço parta da onda "EU AMO" todo mundo, eu não amo a menina que eu conheci a 3 meses, que diz que é melhor amiga e que ama muito...Se eu amo eu amo de verdade, de corpo inteiro, sem fim...
As pessoas estão virando máquinas, sei lá, estão frias, vazias, e sem graça. Não vejo graça em personagens, talvez por algum tempinho mas depois começa a me enjoar, porque fica muito previsível, e eu também não gosto de gente previsível.
Gosto do que não é convencional, do que não é esperado, do beijo roubado no meio da discussão, de demonstrações de amor as 06:00h, de torpedo de madrugada, de ligações quando você menos espera, e de frases, e palavras, que vem do coração e sai pela boca.
Quero desejo, quero sentimento, quero verdade. Quero sem fim.
Mas não consigo mais encontrar pessoas que queiram somente ser pessoas, sem status, sem fotos bonitas no orkut, e sem um milhão de pessoas que diz ser "amigo"... É difícil porque acabou a época que as pessoas se casavam por amor, eram amigas de verdade... Hoje em dia até amizade é difícil de achar, porque você nunca sabe quando a sua melhor amiga vai resolver dar encima do seu namorado, só porque ele tem um carro, e uma condição legal.
Estamos na era de que os valores se tornam pequenos, e ninguém respeita ninguém, mas com a licença de todos, eu me respeito, não agrido nem meu corpo e nem minha mente, e meus sentimentos sempre foram de verdade, eu nunca me fiz de lenhador só pra pegar a chapeuzinho, eu sou inteira, e sou EU! e vou ser assim pra sempre, então eu sinto muito se a minha verdade não te agrada. Fazemos assim, você fica ai construindo seu castelo de areia, enquanto eu fico sentada de camarote, te assistindo, e vou estar lá pra aplaudir quando vier uma onda e destruir tudo o que você construiu, ai sim, meu anjo, vamos ver quem vai rir por último.

Um comentário:

Fernando Christófaro Salgado disse...

Muito bom o texto! Que pena que tão poucas pessoas pensem da mesma forma!
Beijos,
Fernando.