domingo, 23 de agosto de 2009

Me devolva a inocência

Ela acorda e percebe que mudou, não sabe ao certo aonde começou essa mudança, o tempo passa rápido demais, depois que percebemos que não temos mais 15 anos, e ela levanta pra se arrumar e percebe uma conta encima da cabeceira dela, e olha o relógio e pensa que era maravilhoso o tempo em que ela só precisava estudar...ir pro ballet, e pro cursinho de inglês...
É o tempo não perdoa, e ela pega a sua identidade e percebe que alguns anos se passaram desde seus 15 anos, ela está com 21 anos, com um mundo de contas pra pagar, com um chefe que é uma pedra no sapato, tendo que se virar na faculdade pra não ficar reprovada e ainda por cima ter que arrumar tempo pro namorado que não entende a falta de tempo dela... AFF...
Ela volta a cair exausta na cama deu preguiça só de pensar em tanta coisa que ela tem que fazer durante o dia, e se lembra de que quando mais nova a coisa que ela mais queria era fazer 18 anos, o sonho da independência e a carteira de motorista no bolso...Achava que seria livre, e ela não estava errada, ela realmente era livre, mas acho que isso a frustrou um pouco, talvez não fosse essa a liberdade que ela tanto sonhava... E ela sorriu ao lembrar o quanto sentia saudades da sua mãe pegando no seu pé por causa das notas na escola, da sua mãe a acordando e preparando o café da manhã e depois a levando na escola... Do seu pai, te dando dinheiro pra ir no shopping sassaricar com as amigas... Da vovó tão querida catando seus piolhinhos...rsrsrsrs... Saudade dela mesmo que o tempo não perdoou...
É... talvez se ela soubesse que ser criança e a fase da adolescencia eram tão perfeitas ela teria aproveitado bem mais, sem ficar ansiosamente querendo ser adulta...
É... ela cresceu... Ela se levanta da cama, e percebe que está super atrasada... o tempo dela é tão curto que nem tem mais tempo de sonhar...
Ela lava o rosto e ao olhar no espelho sorri... Vê no que se transformou e sente que agora é uma nova etapa, não significa que seja uma etapa ruim, só é diferente, ela cresceu e começa a querer almejar coisas de gente grande...
Mas de repente ela escuta uma voizinha que ela reconheceria em qualquer lugar desse mundo... "É a mãe dela, falando pra ela levantar porque senão ela vai perder a hora da faculdade..."
Ela acorda sorrindo muito e percebe que algumas coisas na vida realmente nunca mudam.

2 comentários:

[ Everyday; everything ] . disse...

'e se lembra de que quando mais nova a coisa que ela mais queria era fazer 18 anos, o sonho da independência e a carteira de motorista no bolso'
Acabei de fazer 18 anos e sei perfeitamente como é isso! rs
Brigada, e sucesso pra nós né?! :)
beejo

Marina disse...

Disse tudo...rsrs
Adorei seu blog flor...sempre q puder estarei aki!
bjinhos